As Melhores Frases de ‘Sob A Pirâmide, O Juiz do Egito’ (Quotes Under The Pyramids)

20160625_154028

~ O corpo do homem é maior do que um celeiro de trigo e está cheio de inúmeras respostas. Escolha a certa, que a resposta errada continue aprisionada.

~ Se quiser ser forte, torne-se um artesão das suas palavras, lapide-as, pois a linguagem é a arma mais poderosa para quem sabe manejá-la.

~ A ironia não é menos mordaz do que a agressividade.

~ Seja flexível como o junco e paciente como granito.

~ Um único dia de preguiça é uma catástrofe. Só o coração pode aprender, com a condição de que os ouvidos estejam abertos e a razão, dócil.

12 de Agosto

tumblr_npu7p9pn2b1s7rukpo1_1280

Era manhã do décimo segundo dia do segundo mês de Akhet. Um fino feixe de luz atravessou a janela do quarto da irmã do faraó, Neferkhemet.
Ramsés entrou discreta e silenciosamente, deixando a porta aberta. Após ter celebrado os rituais matinais renovara sua energia para transferir ao povo a força e a sabedoria. Lembrou, porém, que era um dia especial por isso adiara o desjejum para ver sua irmã caçula.
Acariciou os longos cabelos dela de modo que não despertasse do sono. Não era mais uma menina de catorze anos quando conhecera, agora era uma mulher com vinte e um. Do rosto delicado emanava serenidade. Mesmo dormindo parecia travar uma batalha de olhos fechados. E como sua irmã lembrava seu pai…
Ramsés aproximou-se e sorriu:
Que você seja muito feliz – sussurrou no ouvido de Khemet.
Aquilo não pareceu perturbar seu sono e nem surtir efeito nenhum, mas Ramsés sabia do poder das palavras, o poder que evocava. Não é necessário que você seja um exímio guerreiro basta saber manejar bem aquilo que você diz. Desejar o bem tem muita força.

*Akhet, mês da inundação, no Egito Antigo, de julho a outubro, quando as águas do Nilo se elevavam.

Vinte…

VP_1_1

– Nefer kaui, querido irmão – o abracei.
– Nefer kaui, querida irmã – ele beijou-me na testa.
Nada era mais doce do que aquela demonstração de carinho em um frio de inverno.
– Já vai deitar? – perguntou ele.
– Sim.
– Parece inquieta…
– Nada te passa despercebido, não é? Sou a que planeja com antecedência e não ter certeza e nem garantia de nada me incomoda, Ramsés.
– O amanhã não nos pertence, aproveitemos melhor o hoje.
– Você sabe que isso entra por um ouvido e sai pelo outro.
– Sei disso. Essa questão só vai fazer sentido mais tarde, quando nos aproximarmos da morte.
Sentei no banco.
Sombrio… mas é verdade
– Nós egipcios não tememos a morte. Se agirmos de boa fé teremos medo de passar para o outro lado, o descanso? Daqui a alguns dias passará pela metamorfose e tornar-se-a adulta, Khemet. O meio termo não mais existirá, deixará as coisas de filhote para trás para melhor receber a carga do amadurecimento. Confesso, porém, que você não tem uma mente como a maioria, isso é um elogio.
– Acho que meus 20 anos demorou…
– Aproveite! Lembro-me de quando era apenas uma garotinha, iniciando nos mistérios da vida.
– Você me ensinou muito! – segurei o seu braço.
– Tenho um presente para você!
– O que é?? – me empolguei.
– Só no seu aniversário. – respondeu Ramsés.

Tag: 7 Pecados Capitais Literários

em branco

Fui indicada pela Michelle, do Amando o Hoje para participar dessa Tag. Será um prazer😀

I. Ganância – Qual o livro mais caro e o mais barato que você tem na sua biblioteca?

R: O mais caro é da série A Pedra da Luz, de Christian Jacq. E o mais barato é As Nupcias do Escorpião, de Tico.

II. Ira – Com qual autor você tem uma relação de amor e ódio?

R: Neil Gaiman. Ele tem um ponto de vista que difere do meu, mas a forma como ele desenrola seu pensamento passa a ser atraente.

III. Gula – Qual livro você devorou, sem vergonha nenhuma?

R: Ramsés II, A Dama de Abu Simbel. Passei um grande intervalo sem poder continuar a série porque eu não o tinha e então, ganhei do meu namorado❤ Foi o livro que eu li mais rápido e com todo gosto.

IV. Preguiça – Qual livro você tem medo de iniciar por pura preguiça?

R: Não tem (sério)

V. Orgulho – Um livro que deixou você orgulhoso por ter lido.

R: Educação, A Solução Está no Afeto por Gabriel Chalita. Sempre gostei do gênero ficção cientifica e quando iniciei esse livro a primeira impressão me deu preguiça, ler um tema da atualidade, especialmente da do Brasil. Mas gostei e aprendi muito. Acredito que a educação equilibrada transforma um individuo, dosando entre a palmada e o dialogo, a disciplina e a correção. O livro foi presente de um colega de trabalho.

VI. Luxúria – Quais atributos você acha atraente em um personagem?

R: Em atributos físicos, devem ser desenvolvidos e esguios. Em atributos emocionais ou temperamentais devem ser corajosos, altruístas, serenos e agradáveis; não-invejosos e não-interesseiros.

VII. Inveja – Qual livro você gostaria de receber de presente de alguém?

R: Imhotep, que até hoje não tem disponível na loja😦

Sobre meus Livros/Autores Preferidos:

A Série Ramsés, A Rainha Liberdade, A Pedra da Luz, Os Mistérios de Osíris. Christian Jacq é exímio autor. Amo de paixão a forma como escreve seus romances. Oliver Bowden, psedonimo de Anton Gill, autor de Assassin’s Creed! Suas aventuras são de tirar o folego.

Livro que estou lendo:

Ramsés II, Sob Acácia do Ocidente. O ultimo da série. Enrolei demais para começar a ler e agora não quero acabar de ler (risos)

Livros que Recomendo:

Pensar Bem nos Faz Bem, Sérgio Mario Cortella; A Caligrafia de Dona Sofia, André Neves; A Ciência de Leonardo da Vinci, Fritjof Capra; O Poder da Mulher que Ora, Stormie Omartian.

Blogs que Recomendo:

Amando o Hoje

Rancho do Peregrino

Gustavo Roubert

O Eu Insólito

Quedas e Tropeços

Uma Máxima do Meu Irmão

Quando Ramsés não a visita, Khemet o visita. Foi assim que ele passou a chamá-la.

Estávamos no jardim do palácio, observando as inúmeras estrelas que brilhavam atraentemente para nós. Uma brisa suave soprava por aquele lugar sereno.
– Você sabe quem é Seqen, Ramsés?
– Quem?
– Seqen-en-Rá
Ele refletiu.
– Sim. – Ramsés estava deitado no banco de mármore, endireitou-se e pôs os cotovelos sobre os joelhos. – Ele foi nomeado faraó, está na grande lista do templo. Nosso pai Séthi contou-me sobre ele. Como ficou sabendo?
– Vi em um livro que falava sobre a rainha Ahotep e o faraó Seqen. Eu me emocionei e fiquei indignada na forma como ele… Ele…
Ramsés colocou a mão em meu ombro.
– Ele lutou tanto que morreu, ou melhor, foi morto da forma mais cruel que existiu. Morreu porque acreditava. Morreu acreditando no seu ideal, que o Egito podia ser livre da escravidão dos hicsos…
– Sem ele, nem os que vieram antes de nós, nem nosso avô, nem nosso pai, nem você e eu chegaríamos aqui. Foi o único faraó guerreiro durante anos. Os hicsos fundaram uma capital, Avaris, e por isso a considerávamos maldita. – disse ele.
– Fiquei horrorizada com tanta crueldade! Apofis… não é o nome da serpente demoníaca?
– Sim e também o nome do rei hicso. E para você ter uma noção de que entrar nos templos não era para qualquer pessoa, o rei hicso quis que seu nome fosse gravado na Arvore da Vida, queria ser um faraó.
– E nunca foi?
– Nunca! Nunca foi nomeado, nunca foi admitido pelos deuses e por isso foi amaldiçoado.
– Ah como eu gostaria de saber como esse ignóbil foi morto…
– Calma, Khemet. Nunca deseje o mal para os que são maus, o caminho a qual escolhem se encarregam de fazê-lo.
– Vou anotar sua frase, irmão.

Ramsés sorriu.

O Vilarejo, A Dama de Abu Simbel e Civilizações Antigas

20160625_154106.jpg

Esse livro é bom quando a gente tá na cama a noite, em silêncio total. Gostaria de publicar um livro tão bom quanto esse, digno de receber prêmio. Não é o prêmio em si que me interessaria e sim saber que alguém gostou de ler meu livro.

20160625_154152.jpg

Presente de Dia dos Namorados. Não há melhor sensação do que aquela em que você espera tanto que uma coisa aconteça e ela acontece quando você menos espera. A tão almejada continuação da série do Jacq. Estou mega empolgada❤

20160625_154201.jpg

Quem me conhece sabe que sou mega fascinada, apaixonada pela civilização egípcia. Meu pai lembrou-se de mim❤ o interessante é que em certa página reconheci um texto que eu já havia lido. Na verdade é uma revista e possui informações sobre as civilizações Maias, Astecas e Incas.

Amenhotep IV vs Ramsés II

2618134-3x2-940x627

Amenhotep IV ou Akhenaton, O Faraó Herege.

Sacerdote. Seu pai, Amenhotep III, antigo faraó, compreendia a pirâmide social: os sacerdotes possuíam um poder semelhante a um ministro. Dado as circunstâncias, resolveu unificar esse poder junto com o do faraó, assim a elite sacerdotal se tornaria igual aos demais da sociedade, sem poder, sem prestígios e pagariam tributos como um cidadão comum. Amenhotep IV, antes de se tornar faraó era sacerdote do culto a Amon. Levado por uma revelação, um delírio religioso, começou a desprezar a trindade tebana divina: Amon, Mount e Mut. Passando adotar o modo monoteísta, Aton tornou-se o deus único e poderoso, aquele que rege o cosmos, dá vida e queima os olhos dos seus inimigos. Quando Akhenaton subiu ao trono, o poder de faraó e sacerdote eram um só.

Monoteísta. Espalhou o culto a Aton, o disco solar, aclamado deus único. Perseguiu os adoradores de Amon, proibiu esses cultos e fechou vários templos, inclusive o de Karnak, em Tebas, onde estava a maioria sacerdotal, que reprovou tal atitude. Mandou que fosse apagado o nome de vários deuses que foram talhados nas paredes, nas esculturas, nos obeliscos, nas estatuas etc. Implicitamente, o próprio povo não aceitava.

Tell-El-Amarna. No ápice do seu governo, Amenhotep ficou conhecido por Akhenaton e mandou construir uma nova capital, na época era Tebas. Cada novo faraó que ascendia o trono, mudava a capital de um lado para outro por motivos estratégicos, para ficar próximo as fronteiras que eram constantemente ameaçadas. Esse faraó não, a capital em Amarna serviria para desfruto pessoal, em homenagem ao seu deus, Aton, chamada Akhetaton, a Cidade de Aton. A negligencia e despreocupação, fizeram com que o Egito começasse a mergulhar em profunda decadência politica e militar, tornando-se vulnerável a novas guerras. Os conflitos ocorriam no próprio palácio. Enquanto o faraó tentava eliminar os inimigos íntimos, os hititas provocavam, Akhenaton respondeu sem agressividade, crendo que Aton cegaria os olhos do seu adversário e a resposta pacifica teve um preço alto. Aye, uma figura importante do Estado e Horemheb, o general do exercito, planejavam uma forma de impedir – ou eliminar – o faraó louco, antes que o Egito fosse ocupado como na época dos hycsos. Os sacerdotes continuavam secretamente os seus cultos a Amon, e a população reclamava da miséria, assim começava uma silenciosa e crescente perturbação.

Esposa. Akhenaton foi casado com uma das mulheres mais bonitas da época. Nefertiti, que significa, a bela chegou. Sua origem foi duvidosa por causa do título, mas ficou entendido que era mesmo egípcia. A família real tivera uma morte misteriosa. Possivelmente, a múmia de Akhenaton fora queimada – ato considerado um sacrilégio – dado que ainda não foi encontrado. E a múmia de Nefertiti, recentemente achada, fora mutilada, talvez uma reação de repúdio por ter sido a esposa de Akhenaton.

01 - Estátua de Ramses II (2)

Ramsés II, O Grande.

General. Antes de possuir a coroa das Duas Terras, dado pelo seu pai, Séthi I, Ramsés foi escriba real e mais tarde eleito general do exército. No entanto, com aproximadamente 13 anos já acompanhava seu pai em campanhas para o Alto Egito, na Núbia. Equilibrou seu carater religioso com o politico. Tinha a admiração do povo e o respeito da ala dos
sacerdotes, pois Karnak, em Tebas, foi denominado o principal local de culto a Amon. Ramsés o venerava.

Politeísta. Depois que Séthi, restaurou a paz com os hititas, através de um acordo, seu filho, Ramsés manteve o seu legado. Reformou vários templos e construiu outros ainda maiores e mais magníficos para os deuses. Era devoto a três principais divindidades: Amon, o deus oculto e invisivel; Rá, o deus sol, cujo nome foi dado a Ramsés, filho do sol, de Rá; e Seth, o deus do guerra e protetor do nome de seu pai, Séthi. Seus mais famosos templos estão situados em Abu Simbel, o Ramesseum, o templo de milhões de anos e seu templo funerário no vale dos Reis, considerado o maior de todo Egito.

Pi-Ramsés. Ramsés, como a outros faraós, construiu uma nova capital. Na época, Mênfis. Mas a capital foi mudada para o delta, entre dois braços do Nilo, chamada de A Casa de Ramsés. A decisão foi tomada para que o faraó ficasse a par das fronteiras e tivesse uma forma mais rápida de reagir em caso de invasão. Quando o Egito foi novamente ameaçado, Ramsés respondeu com impassividade, tal como se espera de um rei e a guerra ficou conhecida como A Batalha de Kadesh. O forte estava situado a leste, as margens do rio Orontes, atual Síria. Ramsés formou quatro tropas intituladas com nomes de deuses, Amon, Ra, Ptah e Seth. Aproximadamente, 20 mil homens. Três delas foram interceptadas, pegas totalmente de surpresa, porque Ramsés caíra em uma armadilha. Acredita-se que os hititas tiveram uma colaboração dos vassalos do Egito, o que tornou uma guerra demasiado rápida e sanguinária. A ultima tropa, a de Seth que ficou esperando por uma ordem expressa do faraó, foi a que salvou o exercito egípcio de uma perda cruel. Com percas de ambos os lados, rei hitita Muwatalli entra em um novo acordo.

Há um conto egipcio bastante conhecido: Ramsés, em meio ao campo de batalha, vendo os soldados inimigos avançarem e os seus fugirem, se desespera e faz uma prece a Amon:

Ó meu pai Amon, será que um pai ignora o próprio filho? (…) Eu grito a ti, meu pai Amon! Acho-me entre gente desconhecida, todos os países estrangeiros estão unidos contra mim e meu grande exército me abandonou (…) e nenhum dos meus soldados está comigo; se os chamo, ninguém responde. Mas eu chamo Amon, que é mais útil para mim que milhares de infantes e milhares de carros, mais do que dezenas de milhares de irmãos e filhos unidos numa única vontade (…).

A resposta veio imediatamente com um brado invisível do próprio deus:

Avante! Avante! Eu, teu pai, estou contigo e contigo está o meu braço.

E o exercito hitita foi dizimado, massacrado por um único homem, visto por eles como um ser sobre-humano, o próprio Ramsés. Mais tarde, o faraó entalharia esse milagre nas paredes e templos por todo o Egito.

Esposa. Ramsés possuía concubinas e duas esposas, uma menos conhecida, raramente mencionada, Isitnefert, e a outra, a grande esposa real e rainha do Egito, Nefertari, que significa a bela entre as belas. Por um motivo ainda não esclarecido Nefertari veio a falecer antes de Ramsés, e este morrera com aproximadamente 90 anos, em paz. Mas exames identificaram que ele sofria de doença óssea e dentária. A múmia de ambos está igualmente preservada. Tiveram vários filhos, todos sepultados na KV5, o maior sistema funerário da história egípcia.

7 Livros

_18

1 LIVRO QUE ME MARCOU: Ramsés, O Filho da Luz – o primeiro romance que li.

1 LIVRO QUE ME INFLUENCIOU: A Bíblia – escrito por homens, inspirado por Deus.

1 LIVRO QUE EU LERIA: A Trilogia de Star Wars – nunca entendi a saga, seria uma leitura interessante.

1 LIVRO QUE EU NÃO LERIA: A Culpa é das Estrelas – não é meu estilo, questão de gosto, apenas.

1 LIVRO QUE ME ARREPENDI EM LER: God of War II – o livro não é ruim, apenas criei muita expectativa e me decepcionei.

1 LIVRO QUE ESTOU LENDO: A Rainha Liberdade, O Império das Trevas. – Christian Jacq tem um jeito apaixonante de escrever que apaixona qualquer um.